Encontre psicanalistas membros e membros filiados

Cursos

CURSO INTRODUÇÃO À ESCUTA PSICANALÍTICA 2022

Curso: Introdução à Escuta Psicanalítica  
 
Durante o primeiro semestre de 2022 as aulas serão on-line. A partir do segundo semestre, as aulas presenciais serão retomadas, dependendo das condições sanitárias.
 
Objetivo geral: iniciar o aluno na construção de uma escuta psicanalítica, introduzindo o método psicanalítico a partir da exploração de conceitos como associação livre, transferência e interpretação, e tantos outros elementos fundamentais para a escuta dos processos inconscientes, tanto em relação à prática clínica quanto na dimensão do pensamento sobre a cultura.
 
Duração: 2 anos, organizados em seminários teóricos e discussões clínicas. 
Horário: 6ªs feiras das 13 às 16:15hs (dois horários: das 13h00 às 14h30 e das 14h45 às 16h15).
Público-Alvo: profissionais com ensino superior, prioritariamente médicos e psicólogos, com interesse em introduzir-se na psicanálise e em sua clínica com pacientes adultos.
Inscrição: até 14/01/2022 (data limite) pelo site www.sbpsp.org.br, com apresentação do currículo, no qual deverá constar: nome, idade, formação acadêmica, experiência clínica e/ou de análise pessoal, e-mails e telefones.
Seleção: entrevistas com os professores do curso (on-line).
Avaliação: trabalho final de conclusão do curso + avaliação dos professores. 
Vagas: mínimo de 12 e máximo de 25.
 
Coordenação:
Magda Guimarães Khouri
Eduardo de São Thiago Martins
 
Professores:
Alexandre Socha
Audrey Setton Lopes de Souza
Bernardo Tanis
Berta Hoffmann Azevedo
Cândida Sé Holovko
Cecília Maria de Brito Orsini
Daniel Delouya
Eduardo de São Thiago Martins
Eliana Rache
Elsa Vera Kunze Post Susemihl
Francisca Vieitas Vergueiro
José Martins Canelas Neto
Luís Carlos Menezes
Magda Guimarães Khouri
Maria da Penha Zabani Lanzoni
Maria de Lurdes de Souza Zemel
Marina Massi
Marina Ramalho Miranda
Marlene Rosenberg
Marta Úrsula Lambrecht
Mônica Dias Vianna Braga de Sá
Oswaldo Ferreira Leite Netto
Raya Angel Zonana
Rodrigo Lage Leite
Ronis Magdaleno Júnior
Silvana Rea
Silvia Bracco
 
Além dos professores acima relacionados, outros poderão ser convidados a participar dos módulos do curso, trazendo diferentes contribuições teóricas ao programa.

Organização do curso:
 
1º semestre 
Módulo 1: O que especifica a escuta psicanalítica (16 aulas) - primeiro horário.
Módulo 2: História da Escuta Psicanalítica (16 aulas) - segundo horário.
 
2º e 3º semestres
Módulo 3:
Formas de sofrimento psíquico: uma introdução à psicopatologia psicanalítica (32 aulas) - primeiro horário
Discussão clínica: segundo horário
 
4º semestre
Módulo 4:
Psicanálise, cultura e comunidade (16 aulas) - primeiro horário.
Discussões clínicas (8 aulas) – segundo horário.
Discussão de filmes, experiências com comunidade e oficinas clínicas (8 aulas) – segundo horário.
 
Módulo 1:
O que especifica a escuta psicanalítica: Escuta analítica, o estrangeiro da fala. (16 aulas
Coordenação do módulo: Sandra Lorenzon Schaffa
Objetivo:  sensibilizar para a originalidade do diálogo analítico.  Partiremos da ideia freudiana de que a consciência é uma parte restrita do psiquismo (FREUD “Uma dificuldade da psicanálise” 1917)
 
A hipótese freudiana de processos não conscientes em obra no psiquismo humano é deduzida da teoria do recalcamento. A teoria do recalcamento é o pilar da psicanálise (FREUD, “Contribuição à história do movimento psicanalítico” 1914). 
 
Como apreender o Inconsciente no campo da fala?
 
Freud desenvolveu um método de escuta a partir do modelo da Interpretação do Sonho.  A interpretação põe em evidência os processos primários nos quais as palavras são despojadas dos elos lógicos construídos sob a ação do recalcamento. (FREUD, “O delírio e os sonhos na Gradiva de Jensen”).
 
O dispositivo da escuta apoia-se na demonstração freudiana de que é junto do outro que o homem aprende a conhecer. Estrangeiro e próximo, o outro (Nebenmensch) tem caráter determinante para nossa existência, a economia de nossos prazeres e desprazeres construiu-se junto dele.
 
Desde 1895, o aparelho psíquico é concebido a partir de uma relação com o outro, que não é bem o próximo, mas o que está ao lado capaz de realizar uma ação especifica ao encontro do infante frente ao seu desamparo na situação de dependência original humana.
 
Ela [a ação específica] se efetua por ajuda alheia, quando a atenção de uma pessoa experiente é voltada para um estado infantil por descarga através da via da alteração interna [por exemplo, pelo grito da criança]. Essa via de descarga adquire, assim, a importantíssima função secundária da comunicação, e o desamparo inicial dos seres humanos é a fonte primordial de todos os motivos morais.” (“Projeto de uma psicologia para neurólogos” FREUD, 1895). Estabelece-se, nestas bases, o lugar central da transferência - fundamento pulsional do trabalho interpretativo – no âmago do processo analítico
 
Metodologia:  16 seminários dedicados à discussão dos textos acompanhada de vinhetas clínicas, exemplos da literatura, do cinema e de outros campos da arte. 
 
Módulo 2:
História da Escuta Psicanalítica (16 aulas)
Coordenação do módulo:  Cecília Maria de Brito Orsini
Objetivo: Através da perspectiva histórica, pretende-se apreender como se desenvolve o campo psicanalítico, a partir dos problemas sempre renovados, colocados por Freud. Este é o papel da obra clássica - tematizar questões cruciais que continuam a pulsar nos diversos autores que a ela se sucedem. A partir daí, pretendemos abordar como se constroem – e podem se somar - diferentes referentes de escuta psicanalítica, dissolvendo a ideia de que alguma abordagem detenha a “verdade” sobre a prática psicanalítica. A verdade de cada autor é sempre parcial e provisória.
4 seminários: Freud, o tronco e os ramos
12 seminários - Caminhos propostos pelos diferentes autores 
Professores: Serão convidados colegas que participarão, cada um com sua diferente contribuição teórica, as propostas destes diversos autores
Os diferentes autores serão abordados a partir da(s) solução(ões) encontrada(s) na peculiaridade de sua clínica, resultando na construção particular de seu vértice de escuta, acompanhado de vinhetas clínicas.
Klein
Bion
Winnicott
Lacan
Obs. o número de seminários para cada tema poderá variar de acordo com a maior especificação do programa
 
Módulo 3:
Formas de sofrimento psíquico: uma introdução à psicopatologia psicanalítica (32 aulas)
Coordenação do módulo: Audrey Setton Lopes de Souza e Elsa Vera Kunze Post Susemihl
 
Objetivo: Esta disciplina visa apresentar aos alunos a singularidade do olhar psicanalítico sobre o conflito e a dor psíquica e os modos do sujeito se posicionar em face destes. Não pretende ser exaustivo, mas sim, desde uma perspectiva clínico teórica sensibilizar os alunos para um olhar metapsicológico e clínico sobre as modalidades de sofrimento psíquico (psicopatologia psicanalítica) e a especificidade da clínica psicanalítica, despertando o interesse para futuros aprofundamentos.
 
Metodologia: Explorar a partir de uma escuta psicanalítica, diversas modalidades de sofrimento psíquico. Levando em consideração as ideias de conflito psíquico, desejo, angústia e formação de sintomas, procuraremos compreender diferentes “saídas “ou formas de organizar-se frente à dor e ao conflito. 
 
Para atingir este objetivo partiremos de algumas situações clínicas como disparadoras para tentar compreendê-las à luz de diferentes modelos teóricos psicanalíticos.
Abordaremos também as “novas formas de sofrimento psíquico” que encontramos na clínica psicanalítica contemporânea, como abertura para uma ampliação do espectro da teoria e da clínica psicanalítica. 
 
PSICANÁLISE E PSIQUIATRIA: diferentes modelos epistemológicos
CONFLITO E SINTOMA: O nascimento de uma nova perspectiva clínica
FORMAÇÕES DO INCONSCIENTE: sonhos, psicopatologia da vida cotidiana, o sentido do sintoma
MODALIDADES DE SOLUÇÃO DE CONFLITO - exploraremos, partindo de materiais clínicos, variadas modalidades de posicionamento subjetivo (enfrentamento) face ao desejo inconsciente e a angústia com o objetivo de explicitar as diferentes modalidades de funcionamento psíquico.
 
Organizações neuróticas e psicóticas
Narcisismo, o Eu e as clivagens
Luto, Depressão e melancolia
Os limites da representação e suas formas 
Os casos limites
As patologias do vazio
 
Módulo 4:
Psicanálise, cultura e comunidade (32 aulas)
 
Coordenação do módulo:  José Martins Canelas Neto e Magda Khouri
 
Objetivo: As implicações dos processos históricos e sociais na constituição da subjetividade convocam a psicanálise a pensar nas suas relações com o mundo em que vivemos. 
Partindo da noção de que a escuta do sujeito está inscrita na cultura, o objetivo é apresentar diversos diálogos possíveis do pensar psicanalítico com outros campos do conhecimento, assim como conhecer a expansão da psicanálise por meio dos trabalhos clínicos institucionais.
 
Metodologia: Na primeira parte do curso trabalharemos os textos clássicos freudianos que fazem referência à cultura, tais como Mal-estar na civilização, Totem e tabu, Psicologia das massas e análise do eu entre outros.
 
Na segunda parte do curso, dividiremos os temas em duas aulas:
 
Na primeira aula abordaremos os entrelaçamentos do pensamento psicanalítico com outras áreas do conhecimento: filosofia, antropologia, psiquiatria, literatura, cinema, teatro, artes plásticas, música.
 
A segunda aula será dedicada à apresentação de diferentes modalidades clínicas do fazer psicanalítico na comunidade, envolvendo os trabalhos com grupos e instituições, assim como discussão de filmes e obras de arte de um ponto de vista psicanalítico. Também introduziremos reflexões psicanalíticas voltados à compreensão dos fenômenos sócio-políticos e do mal-estar na cultura de nossos tempos.
 
Em algumas aulas (do segundo horário) haverá a apresentação dos trabalhos dos alunos que envolvam os temas do módulo IV, tanto no atendimento clínico individual como nas ações que desenvolvem em instituições.

 

04/03
13h às 16h15
1º SEMESTRE, ON-LINE: PLATAFORMA ZOOM
INSCREVA-SE

Informações
INSCRIÇÕES ATÉ 14/01/2022!

Durante o primeiro semestre de 2022 as aulas serão on-line. A partir do segundo semestre, as aulas presenciais serão retomadas, dependendo das condições sanitárias.